Como um certificado técnico pode ajudar médicos formados no exterior?

Todos os anos, milhares de médicos formados no exterior buscam retornar ao Brasil. Porém, para que possam exercer a profissão por aqui, esses profissionais precisam revalidar o seu diploma estrangeiro. Uma dessas formas de validação, criada pelo governo brasileiro, é a Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Universidades Estrangeiras (REVALIDA).

Como funciona a revalidação do diploma estrangeiro?

       O REVALIDA nada mais é do que um exame, que ocorre em duas etapas, criado para atender a alta demanda de profissionais da saúde e com o objetivo de verificar, de forma simples e acessível, os conhecimentos, habilidades e competências necessários para a atuação profissional de médicos, de acordo com os princípios e necessidades do Sistema Único de Saúde (SUS).

REVALIDA 1ª etapa: prova teórica

       A primeira etapa de avaliação desses médicos formados no exterior conta com uma prova teórica composta por 100 questões objetivas e 5 discursivas. O detalhe é que essa primeira etapa possui caráter eliminatório e faz com que muitos brasileiros precisem aguardar por um novo edital para buscar novamente a validação do diploma estrangeiro.

REVALIDA 2ª etapa: avaliação clínica

       A segunda etapa do exame busca testar as habilidades práticas dos médicos formados no exterior, com 10 entrevistas para o diagnóstico de doenças e ainda com a  avaliação da Matriz de Correspondência Curricular. Basicamente, as duplas etapas levam em conta a correspondência das disciplinas médicas estudadas no exterior e no Brasil e todo o processo conta com o desenvolvimento e participação de médicos especialistas brasileiros.

O que acontece na prática com a validação do diploma estrangeiro 

       Na prática, conforme apontam as associações de médicos formados no exterior, cerca de 15 mil profissionais da saúde graduados em Medicina em outros países esperavam a prova, que não era aplicada desde 2017 e voltou a acontecer apenas em 2020.

Novas regras e reformulações

Em 2019, a REVALIDA teve várias alterações, entre elas, a promessa de que os testes deveriam ser realizados a cada 6 meses, o que acabou não acontecendo. Porém, a prova já possui data prevista para ocorrer em 2021: no dia 5 de setembro em oito capitais brasileiras.

Como um certificado técnico pode ajudar

       Enquanto aguardam o desenrolar de todas as etapas do exame, muitos médicos formados no exterior podem recorrer ao processo de certificação técnica por competência, conquistando um certificado técnico em enfermagem – desde que cumpram alguns pré-requisitos básicos e com base na comprovação de toda experiência adquirida no decorrer do curso e dos estágios realizados. Esse certificado técnico é regulamentado pela Lei Federal nº 9394/96 e normatizado pelo parecer do CNE/CEB nº40/2004.

Como dar início ao processo de certificação técnica?

       Comece com a escolha de uma instituição que esteja devidamente credenciada ao MEC/Sistec, como o IETAAM, que está há mais de 30 anos no mercado realizando o processo de certificação por competência profissional e já realizou o sonho de mais de 5.000 profissionais que hoje possuem o seu diploma técnico e sua experiência reconhecida em todo território nacional e também no Mercosul.

Quais as vantagens de ter um certificado técnico?

       Ter em mãos um certificado técnico pode abrir muitas portas, afinal, com ele é possível realizar a inscrição nos órgãos de classe, como o Coren, além de poder participar de diversos concursos públicos de nível técnico. Também vale destacar que a certificação técnica por competência do IETAAM é muito mais rápida do que um curso técnico convencional, que pode levar mais de 2 anos, e tudo é realizado de forma 100% on-line, ou seja,  de onde você estiver.

       Como a demanda por profissionais da saúde é urgente, a certificação técnica pode ajudar, fazendo com que os médicos formados no exterior possam continuar atuando dentro da sua área de interesse e com a possibilidade de realizar networking com outros médicos de diversas especialidades ou até mesmo podem explorar outras possibilidades como a atuação em clínicas. 

Mais chances de promoção

       Ter em mãos um diploma técnico também pode ser um impulsionador de carreira para os profissionais da saúde, afinal, com a experiência comprovada é possível garantir mais oportunidades de trabalho, além de aumentar as suas chances de promoção e aprovação em processos seletivos de nível técnico que estão cada vez mais concorridos. 

Quem conquistou o certificado técnico com o IETAAM, não tem dúvida: recomenda!

       É o caso de Rafael Dias, formado em Medicina no exterior pela Universidade Cristã da Bolívia UCEBOL, em Santa Cruz de la Sierra. Ele não pode atuar no Brasil como médico, pois precisa passar pela etapa de revalidação do diploma. O profissional conta que já foi aprovado na primeira etapa do REVALIDA  e aguarda a segunda etapa do processo. “Graças a Deus eu fui aprovado na primeira etapa e agora, buscando novas oportunidades, eu conheci o IETAAM, um instituto respeitado que já atua no Brasil há mais de 20 anos e que certifica técnicos em enfermagem e outras áreas por competência”, finaliza.

 Além disso, Rafael também destacou a agilidade de todo o processo que, de acordo com ele, foi super simples. “Passei por uma análise documental, depois eu fiz uma prova objetiva de 10 questões. De 30 a 45 dias chegou meu certificado técnico em casa, dei entrada no COREN, já saiu meu registro e já estou trabalhando!”, comenta.

       Marianne Vaszelewski Dutra, médica formada no exterior, que agora conta também com o certificado de técnico em enfermagem, evitou toda a burocracia para a validação do diploma estrangeiro. Agora, vai poder contribuir ainda mais atuando na linha de frente no combate à Covid-19, enquanto aguarda as próximas resoluções do REVALIDA.

Outros profissionais da saúde que também podem conquistar o certificado técnico

       Além de médicos formados no exterior, o processo de certificação por competência profissional também abrange outros profissionais da saúde, como auxiliares de enfermagem, bombeiros civis, motoristas socorristas e ainda os estudantes universitários de áreas correlatas, como enfermagem (a partir do 5º período da graduação).

       Um exemplo é a trajetória profissional de Cátia Daniele Goi, que atua há mais de 19 anos como auxiliar de enfermagem. Em 2020, ela percebeu que estava perdendo diversas oportunidades por não possuir o diploma técnico. “Depois de quase 20 anos trabalhando como auxiliar de enfermagem, pude, finalmente, avançar na carreira com o diploma de técnico em enfermagem”, avalia.

Adriana de Fátima Rodrigues conheceu o IETAAM buscando por instituições sérias para poder validar a sua experiência profissional. “Por meio do IETAAM eu consegui o meu certificado técnico e agora, em meu trabalho, já vou conseguir o meu registro de técnica em enfermagem, o que significa um ganho maior para mim e muitos benefícios no meu salário e na minha carreira”, conta.

Mercado aquecido para técnicos em enfermagem

       Os profissionais da saúde são essenciais para a sociedade e, atualmente, existem mais vagas para técnicos em enfermagem do que para enfermeiros, conforme aponta um estudo realizado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) em parceria com o Conselho Federal de Enfermagem (Cofen). O levantamento destaca que 80% das vagas do setor são ocupadas por técnicos e apenas 20% por enfermeiros.

Profissionais da saúde e a luta por melhores salários

       Além disso, a categoria, composta por quase 2,5 milhões de profissionais, vem ganhando força na luta por melhores salários. Está aberta uma consulta pública do Senado sobre a instituição do piso salarial nacional do enfermeiro, técnico e auxiliar de enfermagem. De acordo com o Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), caso o Projeto de Lei nº 2564/2020 seja votado e aprovado pelos parlamentares, os enfermeiros deverão receber o correspondente ao valor de sete salários mínimos;  os técnicos de enfermagem o equivalente a 70% desse valor; e os auxiliares e as parteiras 50%. Um passo muito importante para quem pretende ingressar na categoria.

O IETAAM tem contribuído realizando todo o processo de certificação técnica para profissionais da área da saúde em tempo recorde. O processo todo é realizado em até 90 dias, com prioridade garantida para profissionais da saúde interessados na certificação de técnico em enfermagem. Então, se você também está aguardando a Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Universidades Estrangeiras (REVALIDA), aproveite essa oportunidade única de atuar como técnico em enfermagem e salvar vidas! 

Fale conosco para dar entrada no processo de certificação e compartilhe as suas conquistas conosco.

Desenvolvido pela KAKOI